RECURSOS DE SOBRA!

Prática e com boa desenvoltura em foto e em vídeo, Sony A7R II é uma “mão na roda” para os videomakers

Nesta edição, testamos a A7R II, da Sony. Trata-se de uma câmera mirrorless que concorre diretamente com as DSLR. O anúncio no site do fabricante diz: “apresentando a câmera full frame que cabe na palma de sua mão, a A7R II — o ‘R’ que avança a revolução na resolução com maior sensibilidade, resposta e elegância.” Será que é isso mesmo?

SENSOR FULL FRAME

Nem é preciso dizer que a câmera tem um sensor CMOS Full Frame – este é um dos aspectos mais divulgado do produto. Mas o equipamento conta com uma opção muito interessante, que eu usaria muito em meu dia-a-dia: crop Super 35mm.

Ela simula um sensor cropado, ou seja: você pode capturar imagens como se estivesse trabalhando em uma câmera que não fosse Full Frame. Essa opção é realmente muito boa, caso você esteja com uma lente de zoom limitado e queira uma aproximação maior do assunto principal.

42.4 MEGAPIXEL E ARQUIVO RAW DE 14BITS

Fiquei muito surpreso quando descobri que a câmera trabalha com fotografias de altíssima resolução (42 Megapixel). Além de gerar fotos de extrema qualidade para impressão, você pode cropar em determinados momentos, quando estiver uma lente mais aberta, e ainda assim, ter fotos de alta resolução.

O fato de poder cropar, para mim, é um tremendo diferencial, pois sabemos que, mesmo em fotos de 18 Megapixels, ainda temos qualidade em impressão. E, para as fotografias, você conta com arquivos RAW de 14 bits sem compressão. Realmente é muita “informação” para uma câmera desse tamanho.

RESOLUÇÕES E FRAME RATE

E quanto ao vídeo? Com que resoluções podemos trabalhar? Ela grava 4K internamente? E o frame rate? Sim! A A7R II grava 4K internamente. Podemos gravar em 4K em 30 ou 24 fps, 1080p com 60, 30 ou 24 fps e, ainda, 720p com 120 ou 30 fps. Eis os Codecs utilizados para gravação: XAVC S 4K, XAVC S HD, AVCHD ou MP4.

Fique atento à velocidade do cartão SD utilizado. Quando for gravar os formatos em 4K com menor compressão, será preciso usar cartões com velocidade maior. É necessário o cartão SD UHS-I U3, com velocidade de 30MB/s. Gravando em 4K, caso você também queira gravar em uma resolução mais baixa para facilitar a visualização e a decupagem do material, poderá habilitar a função Dual Video Rec, que irá gravar simultaneamente uma opção em MP4 720p, gerando dois arquivos do mesmo vídeo.

A saída HDMI suporta 4K e Full HD, permitindo a saída de filmes não compactados para gravador ou monitor externo. A imagem também pode ser gravada na câmera, mesmo quando a saída dos sinais é feita usando essa função. E, como todas as câmeras DSLR e mirrosless, ela para de gravar, aproximadamente, em 30 minutos consecutivos.

ISO ATÉ 102400

Na A7R II, temos opção de ISO expansível até 102400. Mas, no quesito “ruído”, deixou bastante a desejar em comparação com a A7S, que granula muito menos as imagens (seja em fotos ou vídeos). Entretanto, consegui uma qualidade muito satisfatória utilizando ISO de 6,400.

OBTURADOR E ZEBRA

Uma limitação das câmeras DSLR, quando comparadas às câmeras de vídeos, era a velocidade do obturador. Na A7R II conseguimos ir até 1/4 na velocidade para criar efeitos e rastros no modo vídeo. Além disso, contamos com o auxílio do Zebra com opções de 70, 75, 80, 85 e 90. Uma opção utilíssima para os que estão habituados a trabalhar com câmeras de vídeo convencionais.

399 PONTOS DE FOCO

Neste novo modelo, a Sony lançou a câmera com 399 pontos de foco. É realmente impressionante! De modo geral, achei o sistema de auto-foco preciso e muito ágil, inclusive em situações de pouca luz. Mas, quando utilizamos alguma outra lente – por exemplo, uma Nikon ou Canon, com um metabones –, o autofocus fica mais lento e não tão preciso. Ainda assim, temos um resultado muito satisfatório.

O foco sempre foi um aspecto mais “fraco” nas câmeras mirroless. Mas uma opção excelente é o “ponto flexível”, que nos permite escolher o ponto de foco na tela com o controlador. É muito prático! Para vídeo, o foco contínuo ainda não é uma boa opção. Em certas situações ele fica procurando o que focar e sua imagem acaba perdendo o foco. É claro que, quando se trata de vídeo, sempre prefiro e aconselho a utilização do foco manual. Mas, para as fotografias, quando utilizando as lentes da Sony, é uma excelente ferramenta (por exemplo, no registro de imagens de esportes radicais).

MANUSEIO

Não sei se o corpo agradará a todos. Eu a achei um pouco pequena para quem gosta de fazer “câmera na mão”. Em minha opinião, é um pouco desajeitada de manusear. Uma opção seria utilizar o grip de bateria para dar mais peso. Os botões giratórios de ISO, obturador e diafragma são de plástico e muito pequenos. Acabam dificultando um pouco na hora de fazer a configuração da câmera e tornam o processo de operação um pouco lento.

O botão para alterar os modos da câmera, agora, conta com uma trava no meio. Isto evita que você troque de modo por acidente. Outra coisa bacana são os botões de acesso do equipamento, que são poucos e práticos, tornando a operação mais amigável que as dos modelos que possuem muitos botões. De maneira geral, aparenta ser uma câmera bem resistente. E é bem silenciosa na hora de fotografar.

BATERIA

Na caixa, há duas baterias W series com um carregador. Ainda assim, elas duram muito pouco, se comparadas às câmeras DSLR Canon ou Nikon. Segundo informações no site da Sony, a bateria dura aproximadamente 290 fotos quando é utilizado o visor eletrônico (ou 340, quando se utiliza a tela LCD).

ÁUDIO

Na câmera, contamos com uma saída para fone de ouvido e uma entrada de microfone. Um aspecto importante no quesito “áudio” são os áudio meeters encontrados no monitor. Além da referência sonora que podemos ter com o fone de ouvido, também temos a referência visual do áudio. Isto é uma mão na roda para os videomakers.

WI-FI

É possível conectar a câmera no Wi-Fi e baixar/comprar alguns aplicativos e instalar “novos” features no equipamento (por exemplo, a opção de time-lapse). Além de enviar suas fotos diretamente para smartphones, televisores e computadores.

MONITOR E VIEWFINDER

A questão de termos um monitor retrátil é muito útil. Já o viewfinder eletrônico é um feature interessante, já que nos oferece uma percepção maior daquilo que estamos capturando em comparação a uma câmera reflex.

SLOT DE CARTÃO

Principalmente por termos uma câmera que fotografa e grava vídeos em formatos de alta resolução, seria importante se houvesse dois slots de cartão. Quanto mais espaço, mais facilidade.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este é um equipamento com alta capacidade de capturar as sombras, entregando mais informação no que se refere aos detalhes. Os cinco eixos de estabilização também contam pontos: ajudam a fotografar abaixo de 1/60 e conseguimos uma imagem estabilizada, mesmo com outras lentes. Creio que, para vídeo, a A7S II se sobressai – e para fotos, acaba levando vantagem, principalmente por conta dos 42 Megapixels.

BOX

Assista ao vídeo teaser de lançamento A7R II:

 

Footage da Sony utilizando a A7R II:

 

 

MAIS INFORMAÇÕES

Sony Brasil

Site: www.sony.com.br

Preço estimado: R$ 19.800,00